O que fazer ao identificar uma verruga na região genital?

O que fazer ao identificar uma verruga na região genital? É comum perceber o aparecimento de verrugas ou bolinhas na região genital e aí vem a dúvida: será que é HPV? Normalmente, as verrugas genitais são lesões benignas mas que infelizmente podem proliferar muito rápido. Por este motivo, ao identificar alguma lesão suspeita na região genital, agende uma consulta com seu ginecologista o mais breve possível – na consulta é…

Read more

Risco do HPV

Metade das mulheres que estão em um relacionamento de longo prazo consideram que não estão sob risco de infecção pelo HPV. Essa informação infelizmente não é correta. Mulheres em relacionamentos monogâmicas há muito tempo podem sim vir a desenvolver alterações causadas pelo vírus HPV devido a alta prevalência dessa infecção e ao fato de que o vírus pode permanecer na fase latente (sem provocar lesões) por muitos anos. Daí a…

Read more

Herpes genital durante a gravidez

O herpes genital é a principal causa de úlceras genitais e está entre as doenças sexualmente transmissíveis mais prevalentes em todo o mundo. Caracteriza-se pelo aparecimento de vesículas e úlceras múltiplas e dolorosas na região genital. São relativamente comuns as recorrências do herpes genital durante o período gestacional.A transmissão para o feto é extremamente rara mas potencialmente grave. Gestantes que apresentam lesão genital herpética no momento do parto ou que…

Read more

Auto-exame de mamas

Outubro Rosa Dra. Carolina Corsini explica sobre o o auto-exame. Dra. Carolina CorsiniGinecologista e ObstetraCRM-SP: 109680

Read more

Atividade física e câncer de mama

Todo mundo sabe que a prática de atividade física tem inúmeros benefícios na nossa saúde, mas você sabia que mulheres fisicamente ativas têm 10 a 20% menos risco de ter câncer de mama que mulheres inativas? Diversos são os mecanismos envolvidos na redução do risco de câncer, como menor quantidade de estrogênio circulante, diminuição da resposta inflamatória, menor resistência à insulina, redução do estresse oxidativo. Indivíduos mais ativos tendem a…

Read more

Nada substitui a mamografia!

Nada, nenhum exame, substitui a mamografia como método principal na identificação de lesões iniciais do câncer de mama. Ultrassom, ressonância magnética e até o exame clínico são complementares à mamografia. Importante também lembrar que não existem marcadores tumorais que auxiliam no diagnóstico precoce deste tipo de câncer. A cintilografia também não é um substituto da mamografia. O exame pode ser chato, incômodo, mas ele é tão importante que não tem…

Read more

Quando fazer mamografia?

Mulheres que não apresentam alto risco para câncer de mama devem realizar a mamografia anualmente a partir dos 40 anos. A partir dos 75 anos, a indicação do exame deve ser individualizada. Mulheres com risco aumentado para câncer de mama (como aquelas que apresentam alterações genéticas, história familiar*, antecedente pessoal de irradiação do tórax, antecedente pessoal de câncer de mama) devem iniciar o rastreamento através de mamografia anual a partir…

Read more

Controle da dor durante o trabalho de parto

As medidas não-farmacológicas de controle de dor durante o trabalho de parto são muito importantes. O ambiente onde a parturiente fica durante esse período deve estar equipado de forma a deixá-la mais confortável e com menos estímulos que podem aumentar a dor: luz mais baixa, disponibilidade da música preferida da paciente (podem fazer a playlist do parto!), banheira ou chuveiro, disponibilidade de móveis ou equipamentos que ofereçam para a mulher…

Read more

Vacina contra o vírus HPV

A vacina contra o vírus HPV é recomendada para mulheres entre 9 e 45 anos e homens entre 9 e 26 anos. Está disponível na rede pública para meninas entre 9 e 14 anos, meninos entre 11 e 14 anos e portadores do vírus HIV. Na rede particular, está disponível pra todas as idades. Quem toma a vacina até os 15 anos de idade, recebe apenas duas doses. Após essa…

Read more

Coletor menstrual

O uso de coletores menstruais vem se tornando cada vez mais popular mas ainda existem muitas dúvidas sobre ele. O coletor menstrual é uma estrutura de silicone em forma de taça (“copinho”) que mede entre 4 e 7 centímetros. Ele é de fácil inserção e fica localizado no fundo da vagina, “abocanhando” o colo do útero. Quando inserido corretamente, não dá pra sentir que ele está lá durante o uso.…

Read more